Livros x Séries

  • Acidentally On Purpuse
  • Amigas Online
  • Bones
  • Friends
  • Fringe
  • Glee
  • Gossip Girl
  • Pretty Little Liars
  • Private Practice
  • Sobrenatural
  • The Vampire Diaries
  • True blood

quarta-feira, 26 de maio de 2010

A vida, o amor...

O importante não é o primeiro amor, mas o último, é nele em que você orbitará, é nele em quem você vai pensar antes de fazer qualquer coisa, é ele que você verá do seu lado, é com ele que você sempre contará, é ele que lhe dará alegria e lhe tirará da cabeça todos as adversidades, é para ele que você vai sorrir por reflexo quando o ver. Ele será parte de você para sempre.
Talvez vocês pensem que estou sendo um tanto quanto idealista, sonhadora ou realmente uma tola, mas é que o amor, o amor, amor de verdade é assim, o amor é imortal e mutável, às vezes ele de transforma em ódio, um amor às avessas, tão avassalador e poderoso quanto o amor direito. Há pessoas que dizem que o amor de amigo pode se transformar em amor romântico, para mim, não vejo como, mas eu acredito, não ouso duvidar do amor, e eu sei que muitas pessoas não amam de verdade, e é por isso que eu não confio nas palavras, mas não há como fingir um olhar, um sorriso, uma lágrima, nem os atos, não por muito tempo, confio mais no eu vejo do que no que escuto ou leio.
Ainda tem o tal do amor platônico, que por experiência próprio é o mais perigoso, porque você nunca se decepciona, é um ciclo vicioso no qual a pessoa sempre, na sua cabeça, faz a coisa certa. É o amor mais triste também, no qual não se tem nada tangível, ninguém para abraçar, beijar, olhar ou tocar.
Eu queria poder experimentar aquele amor que eu falei no começo do post, eu seria a pessoa mais feliz do mundo pelo simples fato de amar e ser recíproco, talvez, para ser sincera, é o que eu mais queria. Mas não me deprimo por causa disso, reconheço a sorte que tenho nos outros tipos de amores, o amor de amigo e o amor familiar, e não há nada suficiente para expressá-los, as palavras ficam órfãs e o sentido que elas tem são dizimados pelo sentido do amor que emana da minha família e dos meus amigos.
Pensando bem, em questão de falar sobre sentimento, o poeta esteja errado quando disse para escrever sobre o que conhece, acho que quando se ama, palavras não brotam, o cérebro entra em colapso tão grande o fluxo de idéias que vem.
Bom, eu queria colocar fotos dessas pessoas tão maravilhosas que não me deixam afundar na depressão pelo simples fato de demonstrarem para mim o quanto sou importante linda e insubstituível em suas vidas.


Nota: Ignorem se estiver sem coesão ou coerência o texto, não revisei. E ignorem minha criatividade para título.
Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário