Livros x Séries

  • Acidentally On Purpuse
  • Amigas Online
  • Bones
  • Friends
  • Fringe
  • Glee
  • Gossip Girl
  • Pretty Little Liars
  • Private Practice
  • Sobrenatural
  • The Vampire Diaries
  • True blood

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Tempo Perdido

Eu quero fazer um Mea Culpa e dizer que eu perdi tempo demais. Perdi tempo me preocupando com o que não devia e me despreocupando com o que precisava. Perdi tempo tentando acertar, quando onde eu mais aprendia era quando errava. Tentei arrumar relações que estavam quebradas há muito tempo e desisti de coisas cedo demais. Desisti da minha primeira vocação aos 9 anos de idade, porque não dava dinheiro, e voltei a descobrir meu talento beirando os 30 anos. Nunca, nunca deveria ter pensado que não podia.
Eu perdi tempo tentando fazer os outros felizes, quando não era responsável pela alegria de ninguém. Deveria ter amado menos quem não merecia, deveria ter amado mais quem era legal comigo. Eu tinha que não ter me preocupado se estava gorda ou magra, ao invés de organizar o que estava dentro de mim. Às vezes, a gente cuida demais do que está por fora, para não ficar pensando no que está dentro.
Deveria ter dado menos valor ao dinheiro e mais valor às pessoas. Deixado o telefone tocar mais vezes. Deixado a roupa suja acumular no cesto para lavar tudo em uma tarde só, uma que não tivesse mais nada para fazer, por sinal.
Eu devia não ter visto o Orkut de tanta gente. Aliás, deveria ter encerrado aquela conta e me preocupar mais com a vida que corre lá fora. Deveria ter desligado mais o computador, não conversar com as pessoas pelo msn e convidar elas para jantar na minha casa.
Eu devia ter começado a dirigir mais cedo e ter ido morar sozinha há muito. Deveria ter adotado um gato, quando tinha um cachorro- e um cachorro, ao invés de um gato. Eu perdi muito tempo decidindo fazer o bem, quando deveria ter mandado todo mundo à merda e fazer o que queria de verdade. E muitas vezes, o que eu queria mesmo era ter ficado longe de um monte de gente, ao invés de aturá-las.
Eu queria não ter perdido meu tempo pensando se perdoava ou não. Não ter cuidado tanto de convenções sociais. Ter sido mais mal educada e não ter agradecido quem me fez algum mal. Tem gente que eu preferia ter mandado para a fogueira, antes de tentar ser amiga delas mais uma vez.
Eu perdi meu tempo quando passei seis anos num emprego, quando deveria ter pedido demissão no momento em que meu ex-chefe me chamou de “burra”. Perdi meu tempo quando o meu funcionário me chamou de “dummie” e eu aceitei, pensando que ele podia me processar se eu levantasse a voz. Aliás, aquela outra funcionária sacana que eu tive também merecia uma surra. Mas fui muito civilizada e apenas baixei a cabeça, quando era o momento certo de fazer a coisa errada.
Eu perdi tempo demais sendo e desejando o que os outros queriam. Passei muito tempo vivendo a vida dos outros, vestindo o que os outros vestem, despindo o que os outros despem. Infelizmente, a nossa vida é regida pelo que os outros pensam. O filme dos outros, o trabalho dos outros, o salário dos outros, o carro, a casa, a família, o namorado, tudo nosso é dos Outros.
E eu cheguei à conclusão que os outros fazem exatamente a mesma coisa que a gente. Vasculham nossa vida. Procuram brechas, dizem que querem nossa felicidade, quando desejam mais é que você morra. Os Outros mentem tanto quanto a gente. Os Outros perdem o mesmo tempo que nós, com Outros de Outros de Outros de Outros, num círculo sem fim, nem começo, de preocupações e ansiedade com a opinião alheia.
Eu perdi muito tempo.
Agora, chega.

by: Débora Lannes Drumond (;

Nenhum comentário:

Postar um comentário